História de Figueiredo Pimentel

Carlito era um jovem dócil e de ótima índole, por isso todos os estimavam. Até mesmo os bichos gostavam dele por causa do seu bom coração.

Um dia, estava na porta de sua casa quando viu um velho alquebrado andando com dificuldade. Imediatamente, foi até o homem e ofereceu ajuda, levou-o para dentro de casa, cuidou dele e lhe deu de comer até que se sentisse melhor para poder ir embora.

Porém, antes de partir, o velho ofereceu ao jovem um anel de presente e lhe disse:

– Já que você é tão bom, te dou este anel de presente, é mágico. Com ele conseguirá tudo o que desejar, basta somente colocá-lo no dedo e fazer o pedido.

Carlito agradeceu o presente, mas a princípio não acreditou que fosse verdade, resolveu então fazer um teste. Ele sempre gostou dos animais, tinha o desejo de saber falar com eles e entender o que diziam. Fez o desejo e no mesmo instante começou a compreender todos os bichos e eles também o entendiam.

Decidiu então correr o mundo, já que agora não precisaria temer qualquer perigo.

Durante muitos anos viajou por terra e por mar e acabou chegando nas Arábias. Lá ficou sabendo que havia naquele reino uma moça tão bela quanto o sol, chamada Ercília, filha de um importante chefe de uma tribo muito numerosa.

Ficou curioso e quis vê-la. Um dia conseguiu avistá-la quando ela chegava em sua casa e ficou completamente apaixonado.

Foi, então, falar com o pai da moça para pedi-la em casamento.

O velho árabe, que naquela ocasião estava em guerra com o país vizinho, disse que o aceitaria por genro se ele se mostrasse valoroso em combate.

Dessa forma, Carlito foi para a guerra.

Quando os inimigos se aproximaram, ele colocou o anel no dedo e sozinho derrotou o exército inimigo. Todos ficaram espantados e o julgaram um feiticeiro. Por segurança ele não contou a ninguém que a razão dos seus poderes era o anel.

O chefe do exército inimigo tinha um feiticeiro como conselheiro, após fazer suas feitiçarias descobriu o segredo de Carlito. Vendo que o rapaz era bondoso, vestiu-se de mendigo e lhe pediu ajuda. Carlito o levou para sua tenda e o alimentou, porém não percebeu que foi roubado pelo feiticeiro disfarçado de mendigo.

No dia seguinte haveria mais uma batalha e, ao se preparar, percebeu que haviam lhe roubado o anel. Ficou desesperado.

Nessa batalha, o seu exército foi derrotado e o chefe da tribo foi cobrar de Carlito o porquê de ele não ter feito como no dia anterior.

Carlito não falou nada e o seu silêncio deixou o chefe da tribo muito bravo. Ele mandou que prendessem Carlito para o matarem no dia seguinte.

Na prisão, Carlito percebeu que era o seu fim e começou a chorar. De repente, viu que havia alguns ratinhos o observando.

Por sorte o rapaz ainda podia falar com os animais e pediu a ajuda deles que, imediatamente, concordaram em ajudar.

Naquela noite os ratinhos invadiram o acampamento inimigo e descobriram que o anel estava guardado em uma caixa de madeira. Passaram a noite roendo a caixa e levaram o anel para Carlito.

Com o anel em mãos, ele saiu da prisão e pôs fim à guerra. Todos ficaram muito felizes, pois não aguentavam mais tantas batalhas e tantos mortos.

O chefe da tribo consentiu que Carlito cortejasse sua filha e ela também se apaixonou por ele. Eles se casaram e foram muito felizes.

***

Clique aqui para ver a história A Onça e a Raposa

Quer ganhar um e-book de histórias infantis? Clique aqui