O Arquipélago

Autor desconhecido

Era uma vez um arquipélago com cem ilhas. Esse arquipélago ficava muito longe de qualquer continente e suas ilhas eram as mais variadas. Cada uma delas tinha uma característica diferente, terras diferentes, morros diferentes, plantas diferentes, animais diferentes e por serem tão diferentes umas das outras elas gostavam de exaltar as suas qualidades.

Uma dizia:

– Tenho as águas mais cristalinas de todas as ilhas!

A outra falava:

– Mas eu tenho as pedras mais preciosas em minhas terras!

Ainda uma outra falava:

– E eu?! Tenho a flora mais bela de todas as ilhas!

E assim elas viviam, sempre exaltando suas qualidades e diminuindo as qualidades das outras.

Então, num dia qualquer, sem nenhuma razão aparente aconteceu um terremoto em uma das ilhas e ela foi tragada pelo mar.

As outras ilhas ficaram assustadas, nunca tinham visto algo assim acontecer, mas não ficaram preocupadas, esse não era um problema delas. Pensaram que provavelmente aquela ilha mereceu, porque não era tão boa quanto elas.

Passado mais um tempo um outro terremoto aconteceu em uma outra ilha e a tragou completamente para o fundo do mar.

Novamente as outas ilhas ficaram impressionadas, mas não se preocuparam, esse não era um problema delas. Aquela ilha nem era bonita mesmo.

E assim, com o passar do tempo, cada uma das ilhas foi tragada pelo mar, uma a uma foi desaparecendo.

Quando a última ilha afundou ela pode ver e todas elas puderam ver que na verdade todas elas eram uma só, um único monte submerso onde cada um dos seus picos ficava fora da água.

Viram que por serem uma só eram somente diferentes em suas características, porém iguais na sua essência e que eram tão vulneráveis quanto qualquer outra.

Conselho de vó: Assim como as ilhas, nós, seres humanos somos diversos em nossas características, porém estamos todos unidos por uma linha invisível, somos todos um só, humanos, animais, plantas, somos todos o planeta Terra. Desta maneira, quando qualquer um de nós é atingido todos somos também e de alguma forma perceberemos isto.

***

Veja aqui as informações do livro “Joãozinho e a Maçã”