Os três porquinhos

Conto de Joseph Jacobs

Era uma vez três porquinhos que viviam na casa da mamãe.

Eles tinham uma vida muito boa lá, já que a mamãe fazia tudo por eles.

Certo dia a mamãe percebeu que eles já estavam grandes e precisavam seguir suas vidas. Ela fez uma grande cesta com muitos alimentos e falou para eles:

– Queridos filhos, vocês já estão grandes, está na hora de terem responsabilidade e para isso vocês devem ir morar sozinhos.

Então ela deu a cesta e também algum dinheiro para que eles comprassem o material para construir suas casas.

Os três então foram para a floresta procurar um lugar para construir as suas casas.

O primeiro porquinho era muito preguiçoso e preferiu construir a casa de palha, porque assim sobraria dinheiro para ele comprar outras coisas e teria tempo para brincar.

O segundo porquinho era mais prático e preferiu construir uma casa de madeira, porque ficaria pronta rápido, sobraria um pouco de dinheiro e ainda teria um pouco de tempo para brincar.

O terceiro porquinho era precavido e pensou na sua segurança, então resolveu construir uma casa de tijolos, mesmo gastando todo o seu dinheiro, pois queria morar em um local seguro e resistente. Ele teria muito trabalho pela frente e não sobraria tempo para brincar.

Então construíram as suas casas em locais próximos umas das outras.

Os dias passaram e um lobo percebeu que havia três porquinhos morando na floresta e resolveu ir lá para comer todos eles.

Primeiro o lobo bateu na porta da casa de palha. Assim que o porquinho percebeu que era um lobo começou a tremer.

Como não abriu a porta o lobo falou:

– Se você não abrir, vou abrir à força, vou soprar e soprar e a casa derrubar!!!

O lobo soprou e a casa de palha voou pelos ares. O porquinho por sorte conseguiu fugir e foi para a casa do irmão, da casa de madeira.

O lobo não perdeu tempo e foi atrás do porquinho e bateu na porta.

Os dois porquinhos estavam tremendo e o lobo falou:

– Se você não abrir, vou abrir à força, vou soprar e soprar e a casa derrubar!!!

Então o lobo encheu o peito de ar e soprou com toda a força. Desta vez foi mais difícil, mas mesmo assim a casa voou pelos ares.

Os dois porquinhos correram então para a casa de tijolos do outro irmão.

O lobo foi no encalço deles, mas já estava meio tonto da força que fez de soprar a casa de madeira.

O lobo começou a bater na porta com toda a força e falou:

– Abram esta porta!!!

O porquinho, dono da casa de tijolos, falou:

– Não abrimos e se quiser pode tentar entrar, não vai conseguir!

Então o lobo disse:

– Então eu vou soprar e soprar e a casa eu vou derrubar!

O lobo começou a soprar e a casa não se mexeu um centímetro, ele continuou soprando com toda a sua força e a casa continuava em pé, até que ele caiu desmaiado.

Depois de muito tempo o lobo acordou e percebeu que não tinha jeito de entrar naquela casa, então ele foi embora e nunca mais importunou os porquinhos.

Depois do ocorrido os três porquinhos resolveram morar juntos e aprenderam a lição, que a segurança é mais importante. E viveram felizes para sempre.

Conselho de vó: ser responsável é pensar na segurança primeiro e depois na brincadeira.

***

Veja aqui a história do Patinho Feio

Veja aqui as informações do livro “Joãozinho e a Maçã”