A Bela e a Fera

História de Jeanne-Marie LePrince de Beaumont

Era uma vez um príncipe que vivia sozinho em seu castelo. Ele tinha somente a companhia de seus criados e a todos tratava com muita indiferença.

Apesar do seu título e de sua riqueza ele não tinha nenhum amigo e gostava de viver só.

Uma noite, quando já era muito tarde e chovia muito, apareceu uma velhinha em sua porta pedindo abrigo por uma noite.

Ele não gostou do pedido e se recusou a ajudar aquela velha, a ofendeu por causa da ousadia de vir à casa de um príncipe pedir ajuda, falou que ela era muito feia e que não era ninguém importante para que ele lhe prestasse ajuda.

O que ele não sabia era que aquela velhinha era na verdade uma feiticeira, que ficou sabendo de suas histórias por ser tão egoísta e mesquinho.

Inconformada pela sua atitude, lançou um feitiço sobre ele e o transformou em uma fera. Transformou também cada um de seus criados em um objeto do castelo.

O feitiço somente poderia ser desfeito se ele recebesse um beijo de um amor verdadeiro, pois só com o amor verdadeiro ele seria uma pessoa melhor.

A feiticeira ainda lhe deu uma rosa vermelha e falou que se ele não recebesse o beijo de amor verdadeiro até que a última pétala de rosa caísse, ele morreria.

Distante dali, em uma pequena vila, vivia um comerciante viúvo e sua filha, chamada Bela. Eles eram pobres, mas eram felizes.

Bela gostava muito de ler e de ganhar livros de presente. Ela tinha o costume de contar histórias para as crianças da vila e era amada por todos.

Seu pai costumava viajar muito para comprar produtos para vender. Um dia ele foi surpreendido por uma tempestade quando voltava para sua vila e, para se esconder da forte chuva, foi procurar abrigo no castelo da Fera.

Ele bateu à porta, mas ninguém atendeu, então resolveu entrar. O castelo parecia abandonado e ele acendeu a lareira para se aquecer e acabou adormecendo.

No dia seguinte a Fera o encontrou dormindo, ficou furioso e o aprisionou pela ousadia de entrar no seu castelo. A Fera pretendia matá-lo pela invasão, mas o homem falou:

– Deixe-me ao menos me despedir da minha filha!

A Fera aceitou o seu pedido, mas avisou que se o homem não voltasse, ele mesmo iria a vila para matar a sua filha.

Ao voltar para casa o homem contou o acontecido a Bela que, destemida como era, decidiu voltar ao castelo com o pai.

Quando chegaram no castelo a Fera ficou impressionado com a beleza da moça e Bela disse:

– Deixa meu pai ir que eu fico em seu lugar!

Seu pai não sabia que a filha faria esta proposta e imediatamente falou que não aceitaria, mas a Fera gostou da troca, aprisionou Bela e enxotou dali o seu pai.

Depois de um tempo aprisionada Bela teve concedido o direito de circular livremente pelo castelo com a condição de que não passasse dos portões.

Bela tinha medo de tentar uma fuga e a Fera se vingar indo atrás de seu pai na vila.

O local preferido de Bela no castelo era a biblioteca, onde ela passava várias horas por dia e aos poucos o coração da Fera foi amolecendo e cada dia mais ele a tratava melhor.

Com o passar do tempo eles começaram a ficar amigos e tinham longas conversas sobre os livros e sobre a vida. Bela começou a ver a Fera de uma forma diferente, além de sua aparência.

Enfim, a Fera havia se apaixonado por Bela e resolveu pedir a sua mão em casamento.

Bela se surpreendeu e recusou o pedido, mas disse que gostaria de continuar sendo sua amiga.

Apesar de triste com a sua recusa, Fera aceitou o seu desejo pois, assim a teria sempre ao seu lado.

Depois de um tempo Bela pediu a Fera a permissão para visitar o seu pai. A Fera aceitou, pois como estava apaixonado não podia negar um pedido seu.

– Voltarei logo, prometo – disse Bela.

Bela encontrou seu pai muito doente de tristeza por ter perdido a filha, e confessou que acreditava que sua filha já havia sido morta pela Fera.

Quando Bela voltou ao castelo encontrou a Fera quase morta de saudades suas e também porque só restava uma pétala de rosa para cair. Ele estava morrendo.

Bela se comoveu com a cena e ficou sabendo da história do feitiço. Nesse momento Bela aceitou o seu pedido, pois também estava apaixonada e eles se beijaram.

Neste momento, o feitiço foi desfeito e ele voltou a ser um belo príncipe, mas agora ele era também uma boa pessoa.

Os criados do castelo também foram libertos.

Bela conseguiu ver a beleza escondida em seu coração e ele foi salvo pelo verdadeiro amor.

Conselho de vó: Somente o amor transforma, e somente o amor enxerga o que há no coração. Só não confunda amor com dependência emocional, um homem que impede a mulher de ter liberdade não ama de verdade. Se isso acontece, é melhor procurar a polícia.

***

Veja aqui a história O pastor e o leão

Veja aqui mais informações do livro “Joãozinho e a Maçã”