O Príncipe Sapo

Conto dos Irmãos Grimm

Era um a vez um Rei que tinha muitas filhas. Todas elas eram muito belas, porém a mais nova era a mais bela de todas, ela era tão linda que o Sol, que já viu muito, ficava atônito sempre que iluminava o seu rosto.

Perto do castelo do Rei havia um lindo bosque, no qual havia uma lagoa sob uma velha árvore.

A princesa Bela gostava muito de ir ao bosque e se sentar junto a fonte.

Ela tinha ganhado de seu pai uma linda bola de ouro, que era seu presente favorito. Quando queria se divertir, ia à fonte e ficava brincando com sua bola. Ela jogava a bola para o alto e pegava.

Um dia, enquanto brincava, jogou a bola tão alto que não conseguiu pegar, a bola caiu no chão e rolou para dentro do lago.

A princesa ficou muito chateada e começou a chorar, ela não conseguiria pegar a bola porque o lago era fundo.

De repente ela ouviu uma voz falando:

– Por que está chorando princesa?

Ela olhou para os lados e não viu ninguém. Então a voz falou novamente:

– O que aconteceu princesa?

Ela começou a ficar preocupada, achando que estava louca quando olhou para o lago e viu um sapo, com a cabeça de fora, falando:

– Posso te ajudar?

Então ela contou a ele o que tinha acontecido com sua bola e o sapo falou:

– Não se preocupe, pode parar de chorar, eu posso pegar a bola para você, mas quero algo em troca.

– O que quiser Sapo. Você quer minhas pérolas, minhas joias, minha coroa? – perguntou a princesa.

– Não me interessam as tuas pérolas, tuas joias, sequer tua coroa. Quero em troca que seja minha amiga, que você brinque comigo, que me leve a sentar à mesa para comer contigo, que eu possa dormir as noites em tua cama. Se me prometer isso trarei a tua bola de ouro – falou o sapo.

– Sim, te prometo, prometo o que quiser, porém devolve a minha bola.

O sapo, ao ouvir a promessa, nadou até o fundo do lago, pegou a bola e a trouxe à princesa que ficou muito feliz em recuperar o seu brinquedo.

Porém, assim que pegou a bola, a princesa voltou para o castelo correndo, quebrando a sua promessa e deixando o sapo sozinho.

No dia seguinte, o sapo, já inconformado com a ingratidão da princesa, foi ao castelo cobrar o trato feito com ela.

A princesa estava com sua família, fazendo o desjejum, quando ouviu uma batida na porta, e uma voz gritando:

– Princesa, abra porta, nós fizemos um acordo!!!

A princesa ficou assustada, não queria que sua família soubesse que havia feito um acordo com um sapo que nem era um animal digno da realeza.

O Rei percebeu sua inquietação e perguntou:

– O que está acontecendo, princesa? Quem está te chamando?

A princesa, meio sem jeito, contou ao seu pai o acontecido:

– Ah! querido pai, estava jogando no bosque, junto à lagoa, quando minha bola de ouro caiu na água. Como chorei muito, o sapo a devolveu e prometi a ele que seria meu companheiro, porém nunca pensei que seria capaz de sair da água e vir até aqui.

Então o rei disse:

– O que prometeu, deves cumprir. Deixe-o entrar.

Ela abriu a porta, o sapo entrou saltando, a seguiu até sua cadeira e falou:

– Me coloque à mesa contigo para que possamos comer juntos.

A princesa fez o que ele pediu, e até se divertiu em comer com ele, mas assim que o Rei saiu da mesa, as suas irmãs começaram a rir dela por estar comendo com um sapo.

Aquilo deixou a princesa envergonhada e ela sentiu vontade de colocar o sapo para fora do castelo, só não fez isso porque seu pai ficaria bravo por ela não cumprir sua promessa.

Então o sapo falou;

– Estou muito satisfeito com a refeição, porém, agora estou cansado, me leve para seu quarto princesa, para que possamos descansar.

As irmãs da princesa riram mais alto, deixando a princesa muito brava.

Ela pegou o sapo e foi para o quarto com ele. Mas o deixou sozinho e foi falar com seu pai.

– Papai, não quero mais ser amiga do sapo, ele não está à minha altura.

– Não devias desprezar aquele que te ajudou quando tinhas problemas.

O tempo foi passando, o sapo a seguia por todos os lugares e aos poucos eles até foram ficando amigos, ela gostava de brincar com ele, mas detestava ver suas irmãs rindo dela.

Um tempo depois ela já não ligava mais para as gozações de suas irmãs e como ela era indiferente elas pararam de rir.

Um dia, quando iam dormir, ela olhou para o sapo e se sentiu muito feliz pela sua presença, passou a mão na sua cabeça e beijou a sua testa.

Neste momento o sapo se transformou em um lindo rapaz.

A princesa não estava entendendo nada, ficou confusa com tudo aquilo, então ele explicou:

– Eu sou um príncipe, fui amaldiçoado por uma bruxa que me transformou em um sapo, eu só poderia voltar à minha forma humana depois de ser beijado por uma princesa e você quebrou a maldição, me salvando.

A princesa ficou muito feliz com tudo aquilo. O príncipe a pediu em casamento e ela aceitou com muita alegria.

Eles foram viver no palácio dos pais do príncipe e foram felizes para sempre.

***

Veja aqui a história O Príncipe Querido

Quer ganhar um e-book de histórias infantis? Clique aqui