A lenda do guaraná

Conto Indígena

Certa vez, na tribo de índios Sateré-Mawé, havia um casal que não podia ter filhos. Eles pediram ao deus Tupã que o desejo de serem pais se realizasse.

O deus Tupã se compadeceu do casal e a mulher ficou grávida. Nove meses depois nasceu um menino muito bonito e saudável.

O bebê era estimado por toda a tribo e assim ele cresceu forte e corajoso.

Jurupari, o deus da escuridão, era muito invejoso e tinha raiva do menino e de suas qualidades. Por isso ele resolveu matar o pobrezinho.

Um dia, enquanto ele colhia frutos na floresta, Jurupari se transformou em serpente para picar a criança.

Tupã, vendo o perigo que o menino estava correndo, mandou raios e trovões para alertar os seus pais e eles correram para a floresta.

Entretanto, não chegaram a tempo e o menino foi morto pelo veneno da serpente.

Seus pais e toda a tribo choraram muito pela morte do menino.

Por isso, Tupã mandou seus pais plantarem os olhos do menino para que deles nascesse uma planta que daria energia a toda a tribo.

Os olhos do menino foram plantados e a terra foi regada pelas lágrimas da tribo.

No local onde seus olhos foram plantados nasceu o guaraná, uma linda plantinha que tinha sementes iguais aos olhos do menino. Assim, a promessa de Tupã se concretizou porque a planta fazia muito bem aos que a utilizavam.

***

Veja aqui a história Os anões mágicos

Quer ganhar um e-book de histórias infantis? Clique aqui