Rapunzel

Conto dos Irmãos Grimm

Era uma vez um casal que por muitos anos tentava ter um filho, mas o sonho não se realizava. Eles pediam a Deus para que este sonho fosse realizado.

Afinal, um belo dia, a mulher percebeu que Deus havia ouvido suas preces e eles teriam uma criança.

O casal vivia ao lado da casa de uma feiticeira e sua casa era cercada por muros de pedra, bem alto para que ninguém se aproximasse. Um dia a mulher, que já estava de gravidez avançada, espiou por entre as frestas do muro e viu uma horta magnífica, com os mais diversos legumes, mas o que mais lhe chamou a atenção foram os rabanetes, ela chegou a salivar de vontade.

Como tinham medo da feiticeira ela tentou esquecer a vontade e seguir sua vida, porém, com o tempo a vontade só aumentava. Ela começou a ficar triste e com aparência doentia.

Seu marido, um dia, percebeu que algo não estava bem com sua esposa e perguntou a ela o que tinha acontecido. A esposa contou sobre o que tinha visto e sobre a grande vontade de comer os rabanetes.

Então o marido ficou com medo que sua esposa morresse e falou para ela:

– Não se preocupe, esta noite você terá seus rabanetes.

Quando já estava muito tarde da noite ele colocou uma escada no muro e pulou para o quintal da feiticeira, roubou alguns rabanetes e voltou para casa.

Lá chegando a mulher preparou uma salada e se deliciou com os rabanetes. Porém o seu desejo não cessou e no dia seguinte ela queria comer mais. Então, seu marido pulou novamente o muro para buscar mais rabanetes para a esposa, mas desta vez ele foi surpreendido pela feiticeira que falou:

– Como se atreve a entrar no meu quintal, seu ladrão!!! Vai ver o que te espera!!!

– Oh! Tenha piedade – implorou o homem – Só fiz isso porque minha mulher está gravida e está com muito desejo de comer estes rabanetes, se não os pegasse ela certamente morreria.

A feiticeira se acalmou e disse:

– Se é assim pode levar quantos rabanetes quiser, mas com uma condição. Assim que a criança nascer você me dará seu filho para eu criar.

O homem ficou transtornado e vendo sua aparência a feiticeira falou:

– Não se preocupe, esta criança vai ter de tudo do bom e do melhor, eu prometo.

O homem não poderia fazer este trato, mas também tinha que levar os rabanetes para a mulher, então resolveu aceitar a proposta da feiticeira, pensando que depois faria outro acordo para não entregar o filho.

Pouco tempo depois nasceu uma linda menina. A feiticeira foi à casa deles para pegar a criança como parte do combinado. Ao chegar à casa o homem falou:

– Não poderei entregar a minha filha, leve o que quiser.

– Não quero nada além desta criança, você aceitou a troca – falou a feiticeira.

A mulher sem nada entender começou a chorar e tentou proteger a filha, mas com um feitiço certeiro ela pegou a criança e foi embora.

A feiticeira deu à menina do nome de Rapunzel e para fugir dos pais da criança ela foi embora daquele local para criar a menina.

A garota cresceu e virou uma moça muito linda de cabelos muito longos e finos como fios de ouro. Então a feiticeira, querendo escondê-la de todos, a levou para uma torre no meio da floresta e lá a deixava trancada, só indo visitá-la durante o dia.

A torre não tinha escadas, nem portas, apenas uma janelinha no lugar mais alto. Quando a velha desejava entrar, gritava lá de baixo:

– Rapunzel! Rapunzel! Joga as suas tranças!

Quando ouvia o chamado, Rapunzel jogava as suas tranças, vinte metros abaixo e por elas a feiticeira subia.

Algum tempo depois, o filho do rei estava cavalgando pela floresta e ao passar perto da torre ele ouviu um canto e parou encantado pela linda voz.

Rapunzel costumava cantar para si mesma para espantar a solidão em que vivia.

O príncipe quis subir na torre, mas não encontrou nenhum modo de fazer isso, já que não havia escadas ou portas.

Depois desse dia, ele passou a ir todos os dias na floresta para ouvir Rapunzel cantar.

Um dia, viu a feiticeira chegar e gritar:

– Rapunzel! Rapunzel! Joga as suas tranças!

Ele viu que o único modo de chegar ao alto da torre era pelas tranças de Rapunzel.

No dia seguinte ele chegou mais tarde e ficou esperando até a feiticeira descer pelas tranças e ir embora e então gritou, fazendo voz de mulher:

– Rapunzel! Rapunzel! Joga as suas tranças!

A moça achou estranho, mas jogou as suas tranças e levou um grande susto ao ver que um homem estava entrando em sua torre, ela nunca tinha visto um homem antes.

Mas o príncipe a tratou com muita doçura e contou que todos os dias vinha até à torre para ouvi-la cantar, que queria muito conhecê-la e falou que estava apaixonado.

Rapunzel também se encantou pelo rapaz e desde então, todos os dias, assim que a feiticeira ia embora ele subia na torre para se encontrar com ela e passar a noite.

Com o tempo Rapunzel também se apaixonou por ele e num belo dia ele a pediu em casamento. Ela aceitou e eles começaram a planejar a sua fuga.

Rapunzel falou:

– Eu quero ir embora com você, mas não sei como poderei descer, da próxima vez que vier traga um tecido muito longo de seda para que eu possa descer por ele e possamos fugir.

No dia seguinte ele ficou esperando a feiticeira ir embora e como sempre chamou Rapunzel para que pudesse subir. Eles amarraram o tecido para Rapunzel descer e ela arrumou suas coisas para fugir.

Porém, neste dia a feiticeira esqueceu a sua cesta na torre e voltou para buscar. Ao chegar viu o tecido amarrado na torre. Imediatamente ela subiu pelo tecido e surpreendeu o príncipe e Rapunzel lá em cima.

Ela ficou possessa de raiva e começou a gritar com os dois. Ela jogou um feitiço no príncipe que caiu da torre em uma moita de roseira. Ainda não satisfeita com a traição da moça, ela cortou os seus cabelos e a levou para longe dali, para o deserto, esperando que lá ela morresse de fome.

O pobre príncipe ficou gravemente ferido na queda e teve seus olhos furados pelos espinhos. Ele acabou sendo socorrido pelos homens do seu reino e deste dia em diante realizou diversas viagens para encontrar Rapunzel ou qualquer pista de onde ela estaria.

No deserto Rapunzel teve a sorte de ser acolhida por uma família que cuidou dela. Um tempo depois ela descobriu que estava grávida e lá nasceram seus dois filhos gêmeos, um menino e uma menina.

Passaram-se anos e um dia o príncipe encontrou uma pista do seu paradeiro e a encontrou no deserto. Ele se alegrou muito ao saber que tinha dois lindos filhos.

Rapunzel não se continha de emoção ao encontrar o seu amado, pois ela achava que ele tinha morrido com queda da torre. Então, chorando, ao abraçá-lo suas lágrimas caíram em seus olhos e ele voltou a enxergar.

Eles voltaram para o castelo e, deste dia em diante foram muito felizes.

***

Clique aqui para ver a história O professor do burro

Quer ganhar um e-book de histórias infantis? Clique aqui