Dr. Grilo

História de Figueiredo Pimentel

Carolino era filho de um pobre e honesto operário, porém era malandro como poucos.

O pior é que ele tinha muita sorte e sempre acabava se dando bem em suas picaretagens.

Um dia, sabendo que ninguém é profeta em sua própria terra, decidiu se mudar para a capital do reino e lá se intitulou adivinho, capaz encontrar a cura para todas as doenças e de descobrir o segredo de todas as coisas.

Usando de trapaça enganava a todos e logo ficou conhecido como Dr. Grilo, porque era muito alto e magro.

Devido à sua fama, ficou conhecido em todo o reino e o Rei mandou chamá-lo ao palácio.

O Dr. Grilo se dirigiu ao palácio tremendo de medo, pois o Rei era muito malvado e com ele ninguém brincava.

O Rei se apresentou de mão fechada e ordenou que ele adivinhasse o que havia nela.

Vendo-se perdido, o rapaz falou para si mesmo:

– Ah! Grilo! Em que mãos estás metido?

– É verdade! – disse o rei abrindo a mão. – É mesmo um grilo que tenho aqui!

Tempos depois, o monarca o fez comparecer novamente à sua presença.

– De que bicho é este sangue? –  indagou o Rei, apresentando um frasquinho.

O adivinho, desesperado, não tendo outra coisa que fazer, disse:

– É agora que a porca torce o rabo.

– É de porca mesmo. Adivinhou! – disse o rei.

Passando um mês, devido aos sucessos anteriores o soberano mandou que o trouxessem, pela terceira vez.

Ordenou-lhe sob pena de morte, que descobrisse os ladrões do tesouro real.

Ele então pediu um dia para que descobrisse quem eram os ladrões.

Os gatunos eram três criados do palácio e por acreditar que ele era mesmo um adivinho o procuraram para pedir que não os denunciasse e ofereceram dividir o dinheiro com ele.

Dr. Grilo, espantado com tamanha sorte, os denunciou ao Rei que ficou maravilhado com o seu dom. Como presente o Rei o nomeou médico do hospital militar.

Havia nessa ocasião uma grande epidemia que assolava todos os soldados, sem que médico algum soubesse descobrir o que era.

Assim que foi nomeado, o falso doutor dirigiu-se à enfermaria, e declarou que no dia seguinte, iria autopsiar todos os enfermos, mesmo vivos.

Pela manhã estavam todos bons, e o hospital inteiramente vazio, pois os soldados nada tinham e se fingiam doentes a fim de não irem para a guerra.

O Rei, acreditando que Dr. Grilo havia curado todos os soldados lhe deu grandes riquezas de presente.

Conselho de vó: É melhor ter um balde de sorte que um caminhão de ouro.

***

Clique aqui para ver a história O Homem e a Cobra

Quer ganhar um e-book com histórias infantis? Clique aqui.