A Liga das Nações

Fábula de Monteiro Lobato

Certo dia a Onça se reuniu com o Gato-do-mato, a Jaguatirica e a Irara para fazerem uma sociedade. Ela fez a seguinte proposta:

– Vamos nos unir e começar a caçar juntos, assim teremos mais chances e no final poderemos repartir a caça igualmente, chamaremos nosso acordo de Liga das Nações.

Os animais percebendo que teriam vantagem ao caçar com a Onça disseram:

– Muito bem! – concordaram todos.

No dia seguinte cercaram um pobre veado, corre daqui, corre dali e, não tendo saída, o animal foi pego e morto pela Liga das Nações.

A Onça falou:

– Já que somos quatro, vamos reparti-lo em quatro partes.

Todos concordaram.

A Onça pegou uma parte e disse:

– Como sou a rainha da floresta escolho o primeiro pedaço.

Os outros concordaram e a Onça pegou a sua parte. Em seguida ela disse:

– O segundo pedaço também será meu porque me chamo Onça e sou maior que todos.

Os outros não gostaram, mas como poderiam contrariar a Onça?

Em seguida ela disse:

– O terceiro também é meu porque sou mais forte que todos.

– Muito bem, se não tem remédio, você fica com três partes e dividiremos o quarto pedaço entre nós – falou a Jaguatirica.

– Está bem – falou a Onça – aqui está o quarto pedaço às ordens. As ordens de quem tiver coragem de agarrá-lo.

A Onça arreganhou os dentes e colou sua pata sobre o último pedaço.

Os outros três nada podiam fazer a não ser colocar o rabo entre as pernas e sair de mansinho para não virar a próxima presa na Onça.

Conselho de vó: Cuidado com quem se faz sociedade. Melhor fazer um contrato.

***

Clique aqui para ver a história O anel mágico

Quer ganhar um e-book de histórias infantis? Clique aqui