Kasa-Jizo

Conto Japonês

Era uma vez, no norte do Japão, um pobre casal de idosos que ganhava a vida fazendo kasa, um chapéu de bambu de formato cônico, onde a neve podia cair sem se acumular.

Era véspera de Ano Novo e não tinham dinheiro sequer para comprar o mochi, bolinho que é comido no primeiro dia do ano para trazer sorte e prosperidade.

Vendo a situação, o velhinho resolveu ir ao vilarejo para vender alguns de seus kasa e conseguir dinheiro para a refeição do Ano Novo.

Estava nevando e o homem, a muito custo, chegou até lá. Ele ficou na rua principal, mas ninguém comprou nenhum de seus kasa.

Tremendo de frio o velhinho resolveu voltar para casa. No caminho de volta ele passou por um grupo de estátuas Jizo, que são estátuas budistas feitas de pedra e segundo a lenda, protegiam os viajantes.

O homem, vendo que na cabeça das estátuas se acumulava uma grande quantidade de neve, resolveu protegê-las com seus kasa. O velhinho então colocou sobre cada uma delas um kasa, mas faltou um kasa para uma das estátuas, ele então pegou um lenço que cobria a sua cabeça e a cobriu.

Após isso, continuou sua viagem de volta para casa.

Ao chegar, sua esposa perguntou o que havia acontecido e ele contou a ela o que havia feito com os kasa, já que não havia conseguido vender.

– Isso foi uma boa ação. Mesmo sendo pobres, podemos dar graças por termos casa – falou a velhinha.

Ela acendeu a lareira para aquecer a casa e foram dormir.

No meio da noite o casal acordou com uma música que vinha de fora:

– Onde é a casa do velhinho que cobriu os Jizos? – falou uma voz.

Então ouviram uma batida muito forte na porta e se levantaram para ver quem era.

Ao abrir a porta encontraram uma cesta com muito alimento: peixe seco, arroz, sakê, legumes e hortaliças, cobertores e um pratinho com mochi.

Viram então, ao longe, um grupo de Jizo usando kasa.

Eles entenderam que haviam sido recompensados pela generosidade de oferecerem seus kasa as estátuas de Jizo, assim eles puderam celebrar um abundante Ano Novo.

***

Clique aqui para ler a história A Lebre e o Camaleão