O rei e a flauta

Autor desconhecido

Era uma vez um rei que havia perdido uma das orelhas na guerra e desde então, fazia de tudo para que ninguém soubesse de seu segredo, pois considerava uma vergonha ser um rei sem uma orelha.

Para esconder a falta da orelha, usava uma peruca com cabelos encaracolados e compridos.

A única pessoa que sabia o seu segredo era o seu barbeiro, um velho senhor que há muitos anos o servia.

Porém, com idade avançada, o barbeiro veio a falecer. O rei ficou desesperado e resolveu buscar um novo barbeiro em seu reino. Ele entrevistou muitos rapazes e acabou escolhendo um que lhe parecia confiável e, depois de contar o seu segredo, o ameaçou:

– Se você contar o meu segredo para alguém, será decapitado!!!

Apavorado com a ameaça, o jovem barbeiro obedeceu ao rei e por muito tempo guardou a sua confidência.

Porém, depois de um tempo, o rapaz começou a ficar com comichão para revelar o segredo.

Para que o pior não acontecesse, ele teve uma ideia. Caminhou para bem longe do castelo, em um local longe de qualquer casa e ao lado de um grande bambuzal cavou um buraco, entrou nele e de lá de dentro gritou:

– O rei não tem uma orelha!!!

Satisfeito por ter colocado o segredo para fora, ele voltou para o castelo e continuou a sua vida.

Dias depois um artesão passou pelo bambuzal, cortou várias varas e levou para sua casa para fazer flautas.

Assim que terminou a primeira começou a tocar e assim que soprou, a flauta cantou:

– O rei não tem uma orelha!!!

Ele achou aquilo muito estranho, fez várias outras flautas e todas elas tinham o mesmo defeito.

Muito intrigado com a situação, levou todas as flautas para vender no vilarejo, ao lado do castelo.

Assim que os moradores começaram a tocar, todos puderam ouvir o segredo do rei cantado aos quatro ventos.

Quando o rei soube do acontecido ficou estarrecido, não imaginava como aquilo poderia estar acontecendo e resolveu falar toda a verdade à população.

Para a sua surpresa, as pessoas não ficaram chocadas como ele havia imaginado, nem deixaram de gostar dele por isso. Para o rei foi um alívio contar o seu segredo e, desde esse dia não teve mais nada a esconder, enfim podia viver feliz e aliviado.

Conselho de vó: não existe segredo que um dia não seja revelado, melhor sempre falar a verdade.

***

Clique aqui para ler a história A casa dos mil espelhos