O Carvalho e o Junco

Fábula de Jean de La Fontaine

Era uma vez um carvalho muito grande e frondoso, seus galhos eram fortes e se estendiam para todos os lados, nos seus troncos vários pássaros faziam seus ninhos e ele vivia feliz, sempre exaltando suas qualidades a todos os que por perto passavam.

Próximo ao grande carvalho havia um pequeno pé de junco que era pequeno e tinha galhos fracos e frágeis, onde sequer um passarinho podia sentar.

Um dia o carvalho falou para o junco:

– Veja meu caro junco, como sou grande e forte, e você é tão fraquinho, com galhos tão finos que dobram com o vento! Tenho certeza que você gostaria de ser como eu, mas cada um é o que é e você nunca será como eu!

O junco ouviu estas palavras, mas não se incomodou, gostava de ser quem era mesmo sendo pequeno e fraco se sentia feliz sendo assim. Ele tinha um riacho bem ao seu lado que lhe oferecia água necessária e não sentia falta de nada, sua vida era boa.

Um dia uma grande tempestade assolou a região, o junco balançou para todos os lados com a força do vento, porém continuou intacto.

Já o carvalho, tão imponente e forte, com galhos tão inflexíveis foi quebrado pelo vento em milhares de pedaços.

Conselho de vó: Nos grandes problemas que a vida nos oferece, se mantêm vivo quem sabe se curvar, se adaptar e que é flexível para mudanças. Este sobrevive.

***

Veja aqui a história do Flautista de Hamelin

Veja aqui mais informações do livro “Joãozinho e a Maçã”