Os dois peixes

Adaptação de MFátima Lima

Era uma vez um rei que tinha vários filhos. Ele apreciava muito as descobertas dos sábios que se dedicavam às diversas ciências e achava que se os jovens estudassem, aprenderiam coisas que tornariam o seu reino mais forte. Para isso resolveu escolher um professor que o ajudasse nessa tarefa.

No dia do teste, reuniu todos os sábios da região e também alguns que vieram de bem longe interessados no emprego. Logo de manhã o rei se apresentou e disse que contrataria aquele que até o final do dia lhe desse a resposta à seguinte pergunta:

– Por que, se escolhermos dois peixes de igual tamanho e peso, e os colocarmos em duas bacias iguais e com a mesma quantidade de água, mas matarmos um dos peixes, a bacia com o peixe vivo pesará mais?

Todos os candidatos ficaram tentando decifrar a resposta consultando livros, conversando uns com os outros, fazendo anotações… Apenas um, um rapaz ainda jovem, pediu licença para sair e voltar à tarde na hora da apresentação das respostas. O rei concordou e os sábios passaram o dia entre consultas e divagações.

À tarde o rei voltou para ouvir as respostas e elas foram as mais variadas:

– Majestade, minha conclusão é a de que o peixe vivo se movimenta e isso o faz pesar mais.

– Majestade, essa é a prova de que a vida tem um valor que pode ser medido pela balança.

– Majestade, essa é a prova de que todos os seres tem uma alma e, quando morre, essa alma o deixa e isso diminui o peso do corpo.

Sucessivamente, todos foram apresentando suas mais variadas conclusões. Mas o rei não se mostrava satisfeito com nenhuma resposta. O sábio que havia pedido para sair de manhã chegou quase no final e foi o último a apresentar sua resposta:

– Majestade, as duas bacias iguais com a mesma quantidade de água e os peixes de igual tamanho, um vivo e outro morto, tem o mesmo peso.

Os outros sábios ficaram indignados. Como o jovem ousava contestar as palavras do rei? Isso era uma ofensa que merecia ser castigada. Após certo tumulto pelos inúmeros protestos dos outros sábios o rei pediu silêncio e perguntou:

– Diga, meu jovem, por que você está contradizendo a minha afirmação?

O rapaz respondeu:

– Majestade, eu saí de manhã e testei o pressuposto de sua pergunta. Encontrei duas bacias iguais e coloquei a mesma quantidade de água. Encontrar os dois peixes de peso exatamente igual foi mais difícil, mas os encontrei e matei um deles. Coloquei-os cada um em uma bacia e o peso final foi exatamente o mesmo.

O rei então respondeu:

– Parabéns, essa é a resposta certa e você é o escolhido para ser o mestre dos meus filhos. Não se pode encher um copo que está cheio. Quando estamos dispostos a examinar as coisas desde o início, aprendemos muito mais. E é isso que quero que você ensine aos meus descendentes. Sei que assim meu reino permanecerá forte por muitas gerações.

Conselho de vó: Antes de qualquer atitude com relação a alguma coisa, verifique se a informação é verdadeira.

***

Veja aqui a história Ifá

Quer ganhar um e-book de histórias infantis? Clique aqui